ESPAÇO VERTICAL

 

Já falámos aqui sobre a importância do espaço vertical e como pode ser útil optimizá-lo na sua casa.
É uma forma de ter mais espaço de arrumo e manter as suas coisas ao alcance e bem visíveis. E quem não quer isso, certo?

Hoje mostramos mais um acessório que pode ajudar aqui – o organizador de camisolas!
Para além de dar jeito para as organizar, podemos usá-lo de outras formas. Aqui vão algumas sugestões:

CRIAR GAVETAS ATRAVÉS DE CAIXAS OU CESTOS

Nem sempre empilhar é a solução, e muitas vezes o ideal é aumentar o número de gavetas para que os objectos possam estar mais arrumados. Assim, nas suas prateleiras pode acrescentar gavetas, usando caixas ou cestos. Ideal para objectos mais pequenos, ou que simplesmente não queira ter à vista.

 

The Container Store

 

Crate and Barrel

 

GUARDAR JOGOS E BRINQUEDOS

Para libertarmos o chão dos brinquedos e jogos. Aqui a vantagem é que se criam “camadas” para os diferentes géneros, e torna-se mais simples aceder e depois voltar a arrumar.

 

 

ORGANIZAR PASSATEMPOS

Quer sejam acessórios de desenho, costura ou outro passatempo, pode criar um nicho onde tem tudo guardado e visível para ser mais criativo.

 

 

 

ACESSÓRIOS DIFÍCEIS

Se não sabe onde guardar os seus chapéus, carteiras ou outro tipo de peças com forma, aqui está uma boa solução. Ao criar verticalidade, as coisas mantêm a sua forma e são melhor acondicionadas.

 

 

ORGANIZAR A DESPENSA

Normalmente as despensas não são muito espaçosas nem práticas. Consegue-se contornar o problema usando prateleiras adicionais. Bom para produtos de limpeza, papel de cozinha, ou outros.

 

COISAS A LIBERTAR DA GARAGEM

Se tiver uma garagem que supostamente dá para dois carros mas na prática só cabe o seu – e mal – então talvez deva ler este artigo.

Sendo um espaço amplo, normalmente a garagem surge como lugar de arrumos para o que está a mais no resto da casa. Encontra-se lá de tudo um pouco.
Mas não tem de ser assim. A garagem não precisa de ser um depósito para as coisas que raramente se usam. Pode ser um retiro para praticar os seus hobbies, uma sala ampla para encontros de amigos, ou uma oficina funcional para alguns arranjos.
Assim sendo, o que propomos é que se liberte de algumas coisas para criar espaço. Espaço para desfrutar das actividades que mais gosta – ou simplesmente para guardar os dois carros.
Começamos então com duas categorias onde talvez possa simplificar na sua garagem.

FERRAMENTAS REPETIDAS

Se tem ferramentas e utensílios aí, consegue dizer de memória quantos martelos tem ou onde estão as buchas? Possivelmente até tem alguns essenciais à mão em casa e os sobressalentes algures na garagem – caso sejam precisos. Na realidade, quando foi a última vez que precisou desses extras? Quando acabaram os parafusos, se calhar até foi comprar-los em vez de confirmar se havia mais na garagem.

Antes de mais, faça uma lista mental do tipo instrumentos que precisa. Foque-se no que sabe usar e utiliza com maior frequência. Depois junte todas as ferramentas no mesmo sítio e coloque lado-a-lado as repetições. Fique só com o que mais gosta de usar e está em melhor estado. Faça questão de colocar as peças pequenas por tipo e tamanho, naquelas caixas para o efeito.
O que está em mau estado pode ir para reciclar, o que está bom mas não usa pode ser dado a uma oficina ou profissional da área. Se tiver gosto em vendas, coloque online ou dedique uma tarde numa feira de segunda mão para ter algum retorno financeiro.
Caso esteja indeciso se usa algo ou não, confirme na rua rede de amigos e família se alguém tem. Quando precisar, sempre lhes pode pedir emprestado.

 

 

JORNAIS E REVISTAS VELHAS

Para limpar vidros, embrulhar objectos nas mudanças, ou até para um dia voltar a ler os acontecimentos do passado. Sinceramente: alguma vez os usou? Vejamos – se um dia mudar de casa ou quando se acabarem os jornais a meio de limpar uma janela, sempre pode ir ao café do lado e pedir os jornais da semana anterior. Acontecimentos do passado, normalmente estão na internet ou na biblioteca. Se forem de um passado muito distante, é outro tema. Aí talvez haja valor histórico e pode direccionar para outros locais – mas isso é conversa para outro dia. O importante é que pouco a pouco, os papéis tendem a apoderar-se dos sítios, e se não tiverem interesse prático para si, então está um espaço a ser usado sem necessidade. Recicle e serão transformados em novas revistas e jornais interessantes!

Em breve seguiremos com mais dicas da garagem – esteja atento!

 

 

CONFUSÃO É DISTRAcÇÃO

 

Se ainda lhe restam dúvidas sobre o impacto da desarrumação no nosso bem estar, este artigo tem uma resposta bastante clara.

Investigadores da PNI (Instituto de Neurociência da Universidade de Princeton), conduziram uma experiência que se relaciona directamente com a desorganização versus a performance em diferentes tipos de tarefas.

Concluíram que “múltiplos estímulos apresentados no campo visual ao mesmo tempo, competem entre si pela representação neural, suprimindo-se mutuamente. Isto limita a capacidade mental de processamento”.

Ou seja, a confusão visual restringe a nossa capacidade de foco.
Tal qual quando uma criança que está ao nosso lado repete constantemente a mesma palavra. Talvez consigamos avançar com o que estamos a fazer, mas é definitivamente cansativo ouvi-la e requer um esforço extra concentrar-nos no que quer que seja. Acaba por ser desgastante e causa-nos stress.
Da mesma forma, quando nos encontramos entre vários objectos desordenados e tarefas por cumprir, ficamos assoberbados de informação e muitas vezes nem sabemos para onde nos dirigir.

 

 

Com efeito, acumular demasiadas coisas e deixá-las ao acaso prejudica o raciocínio lógico e criativo (ao contrário do que muitos possam pensar), faz-nos mais distraídos, e propensos à frustração.

Assim sendo, se queremos tornar-nos menos irritados, mais focados e tranquilos, um dos primeiros passos a tomar – com resultados quase imediatos – é controlar o estímulo visual e o caos, quer no nosso ambiente de trabalho quer em casa.