Vamos começar?

 

Provavelmente, quando ouve falar num organizador profissional, ocorre-lhe logo um cenário típico: uma casa atafulhada até ao teto e uma pessoa que guarda todo o tipo de coisas.

Existe de facto um distúrbio diagnosticado como Acumulação Compulsiva, que precisa de ajuda quer dum psicólogo quer dum organizador.
Mas esta profissão é muito mais do que isso – aliás, pessoas que sofrem deste transtorno são apenas uma pequena parte do espectro dos clientes.

Na maioria das vezes, um organizador profissional dedica o seu trabalho a pessoas activas que simplesmente estão demasiado ocupadas e cansadas com o trabalho, família e dia-a-dia. Pessoas que precisam e valorizam a importância do seu espaço. E muitas das vezes até se sentem entusiasmadas para melhorar o seu ambiente, só que não sabem bem por onde começar, ou até como manter a motivação.

A verdade é que nós, organizadores profissionais, não temos uma poção mágica para fazer com que a sua casa fique perfeita num piscar de olhos. Mas sabemos como fazer acontecer.

 

 

Eis o que realmente fazemos e como podemos ajudar:

Contratar um organizador é como contratar outro serviço qualquer

Pode haver uma certa reticência em contratar alguém para fazer algo “que toda a gente deve conseguir fazer”. Acontece que, tal como a maioria de nós não consegue cortar o nosso próprio cabelo, costurar as nossas roupas ou ensinar os nosso filhos a matéria escolar, não há problema nenhum em precisar de ajuda para organizar. Não é tão simples ou rápido quanto parece, e ter alguém especializado facilita tudo para si.

Começar peço início

“Para estudar e trabalhar, o que custa é começar”. Quando o problema é simplesmente dar começo à tarefa, ter um organizador é o melhor. Ajuda-o a estabelecer um ponto de início, e propõe um plano de acção. Controla-se o tempo e o andamento dos afazeres.  E assim não há muito por onde divagar. É simplesmente seguir passo por passo e ir vendo os resultados.

Ajudamos a lidar com a ansiedade que vem com a organização

Na maior parte das vezes, só a ideia de enfrentar as coisas traz sentimentos de ansiedade e frustração. A verdade é que enfrentar as suas coisas significa enfrentar-se a si mesmo. Lidar com os seus pertences é também lidar com os seus diferentes anseios, sonhos, projectos e bagagens do passado. Nem sempre é fácil, e ter alguém em quem possa confiar e desabafar sem se sentir julgado aligeira todo o processo.

 Não é só destralhar, ajudamos a criar hábitos

Munido de bons sistemas e estratégias, um organizador acompanha no destralhe, mas mais do que isso, ajuda a criar novos hábitos. Tal como não se emagrece por comer uma salada, também não se organiza uma casa com um par de sessões. São precisos novos hábitos e uma mentalidade preparada para evitar que a desordem volte a invadir a casa. Ou seja, não é tanto acerca das coisas, mas sim acerca da pessoa que as tem e interage com elas.

É preciso saber que a organização é um passo natural na procura do seu bem-estar e que contactar um profissional pode ser para todos.
Se já pensou em viver num ambiente mais leve e confortável, por que espera?

 

Salvar

Salvar

 

Salvar