Tudo aquilo que não serve

 

No guarda-fatos, tudo aquilo que não serve – no nosso corpo, nos nossos gostos ou no nosso estilo de vida – já não tem mais propósito no nosso espaço. E por isso pode ir.
Como já falámos, a mudança de estação é um bom momento para mudar a roupa do guarda-fatos também. Assim dá-nos a oportunidade de ver as nossas peças com um novo olhar, e uma certa distância. Só assim podemos ter uma opinião mais clara e tomar as melhores decisões.

É verdade que nos custa libertar de algo de que já gostámos, que tenha sido caro ou até que tenha sido oferecido por alguém querido. Mas há que fazer um esforço para que o que nos rodeie reflita quem somos agora. Neste processo, há que ser implacável e sobretudo honesto!

E o que precisa é um pretexto para ser honesto.
Aqui vai o desafio: se tem dúvidas sobre alguma peça, experimente-a, e use-a no dia seguinte ou nessa mesma semana. Ponha a sua roupa à prova.
Se durante esse dia:
· o fecho o fez sentir-se apertado
· não conseguiu levantar os braços
· sentiu que a bainha é muito curta
· reparou que sobressaía alguma curva indesejada
· percebeu não vai com quase nenhuma outra peça que tenha
· ou outro detalhe que não lhe agrade…
aí tem a sua resposta!

 

É por isso que apesar de gostar de determinada peça, não a usa! Uma simples nuance que o faça sentir desconfortável já é motivo para não escolher esse item quando se veste pela manhã.

Acontece que não precisamos de roupa que nos faça sentir gordos, desajeitados ou descuidados.
Queremos um guarda-fatos fácil e polido, onde toda e qualquer peça nos favoreça e nos represente no nosso melhor.
E sem “ervas daninhas” as escolhas tornam-se mais fáceis!