SOBRE O TEMPO

 

Olá e bem-vindos de novo ao Funday Monday!

Hoje falamos sobre algo que tenho andado a aprender nestas últimas semanas – o controlo do tempo e do que nos rodeia.

Antes da chegada desta linda bebé, sabia que ia ter menos tempo para as minhas coisas, mas estava longe de imaginar que o dia-a-dia ia ser tão imprevisível e que ia sentir tanta impotência no controlo desse tempo.
Aceitar esta realidade não foi fácil, mas com o passar dos dias tenho vindo a aperceber-me que, ao ter menos liberdade para as minhas coisas, é importante selecionar bem como e onde quero passar o meu tempo livre.

Precisei então de me libertar dos afazeres supérfluos – daqueles que menos gosto – para ter tempo para o que é mais importante.
Assim, as tarefas que tinham de ser feitas “um dia”, mas que muitas vezes adiava, foram eliminadas dos meus planos. Menos uma coisa a pairar na minha mente como “tenho de fazer, mas não agora”. Menos um fator de frustração.
Aos objetos que tinha de arrumar, mas iam ficando “para depois”, decidi olhá-los com atenção e perceber se queria mesmo mantê-los.
Até as plantas – que tenho de regar – mereceram consideração. Vale a pena passar tempo a cuidar de plantas que não aprecio especialmente?

 

 

Desta forma, este novo e grande acontecimento na minha vida só veio reforçar uma ideia:
Independentemente da fase em que estamos, existem coisas que estão sob o nosso controlo, e outras que nos fogem.
Naquilo que podemos controlar, é essencial sermos verdadeiramente honestos com o que somos e o que gostamos. Devemos perceber que o tempo – ao ser limitado – é precioso, assim como o nosso espaço.
Por isso, é importante rodearmo-nos apenas do que nos proporciona prazer. Tudo o resto, tem mesmo de estar na nossa vida, ou está só a ocupar um espaço que poderia servir para algo melhor?

 

 

Salvar