INSISTE!

 

Provavelmente já tentou destralhar numa altura em que estava simplesmente farto de tanta coisa e cansado da confusão que se instalou na sua casa.
Provavelmente transformou-se num furacão da organização, e numa manhã, conseguiu libertar-se das roupas que estavam no armário há anos sem usar, ou das pilhas de papéis que estavam há semanas para serem tratadas.
É isso mesmo!!
É esse o espírito. E onde tudo começa.

Aquele desejo momentâneo de tudo mais simples e agradável faz com que finalmente reaja contra o caos. É a semente da leveza que começa a espreitar.

 

 

Mas…
…talvez lhe tenha acontecido que passado pouco tempo, o seu armário volta a ficar apertado e a sua secretária transforma-se numa povoação de post-its e afazeres-para-tratar-assim-que-possa.
Como é que é possível?… Ainda há pouco tinha arrumado tudo e tinha ficado tão direitinho!

Aqui é importante não desistir. Porquê?

Antes de mais, porque dar continuidade à organização não significa que falhou da primeira vez, pelo contrário! Se resultou – mesmo que apenas por algum tempo – tem de continuar! É um processo em si só, e temos de o encarar dessa forma. Insista, e não desista! Vai valer a pena.

Depois, lembre-se que a semente já está no seu pensamento, e agora é a esse vislumbre que tem que se agarrar! Essa visão de ter tudo mais ligeiro e aprazível, essa vontade de sentir tranquilidade em vez de ansiedade, energia em vez de cansaço.
Estímulo em vez de frustração!
Reavive essa memória.

É natural que se torne complicado lidar com todo o fluxo de informação com que se depara de cada vez que quer organizar. O importante é não ceder à pressão da quantidade de coisas, e procurar ajuda para facilitar e agilizar esta nova fase (e face) do seu espaço.

E acima de tudo, seja realista. Roma não se fez num só dia, nem de braços cruzados.

Na próxima semana falamos dos fatores importantes para levar este seu desejo à frente da forma mais natural e eficiente possível!

Salvar

CINCO COISAS DE QUE SE PODE LIBERTAR HOJE

 

Quando não sabe por onde começar, não há nada mais útil que uma check-list.
Portanto aqui vai a minha proposta para pôr em prática já esta semana.

1. Cosméticos que não resultaram consigo. Pode ser o creme que lhe irrita a pele, o blush que não é o seu tom, o champô que não é assim tão eficaz, etc. Se são produtos que deixou de lado por alguma razão, porque é que ainda ocupam espaço na sua prateleira? √

2. Jornais e revistas desatualizados. Se tem uma – ou mais – pilhas de revistas e jornais que guardou para um dia voltar a ler… faça um ponto de situação e confirme se voltou a pegar-lhes desde que os comprou. Não? Então talvez já não lhe despertem interesse. Recicle esse papel precioso para o transformar em novas edições super apelativas!  √

 

 

3. Sapatos que o magoam. Apesar de gostar muito deles, infelizmente não são confortáveis. Tem uma costura no sítio errado ou um molde que simplesmente não encaixa no seu pé. Assim, vai evitando usá-los, apesar de os ver regularmente na prateleira. Não será melhor desobstruir esse espaço para algo que goste E que possa usar? √

4. Frascos e caixas vazias São embalagens sem nada. Basicamente é ar a ocupar-lhe espaço. Questione-se de quantos frascos precisa para colocar as suas especiarias, doces caseiros, ou cereais. De quantas caixas precisa para enviar encomendas ou guardar coisas, se for preciso? Mesmo que precise de algumas, recomendo guardar as mais versáteis e bonitas, e remover as que tenham publicidade, autocolantes ou um formato pouco prático. É nestas pequenas coisas que se pode eliminar algum ruído visual. √

5. Roupa de cama a mais Lençóis que não servem no colchão atual, peças desbotadas, alguma manta com um padrão que não lhe agrada. Tudo isto podem ser razões para que não se sinta inspirado a usar, e portanto, estes items vão ficando do fundo da pilha. Se estiverem em boas condições, porque não os dar a alguém que possa precisar? √

Estes tópicos são de decisão simples e imediata, mas que vão libertar um espaço significativo na sua casa.
Agarre coragem e uns sacos do lixo e liberte-se desse peso desnecessário. Força!

Salvar

Salvar

 

Salvar

REVER PRIORIDADES

Como é que gosta realmente de passar o seu tempo livre?

É comum que a maior parte das coisas que temos a mais acabem por ser esquecidas.
Não as usando por estar longe da nossa vista, metidas no fundo de uma gaveta ou diluídas no meio de outros objectos, acabamos por não lhes tirar proveito.
 Podem corresponder a passatempos ou interesses dos quais acreditamos gostar mas que, em boa verdade e sendo sinceros, não temos tempo para eles.
Lanço então uma questão:

Será que não tem tempo ou simplesmente escolheu fazer outra coisa com o seu tempo livre?

Posto de outra forma, será que esses objectos correspondem às suas prioridades?

Eu acredito que esta seja uma boa forma de questionar o que realmente lhe traz valor. Se “não tem tempo” para jogar o tal jogo, é possível que não tenha espaço para ele na sua vida! Questione-se.
Talvez se aperceba que agora prefere passar o seu tempo de outra forma ou envolver-se noutros interesses. 
Provavelmente agora gosta de ler outros livros ou já não tem tanto gosto em bricolage como dantes.

 

 

O seu tempo livre é precioso. É natural fazer coisas que lhe dão entusiasmo. Mas entretanto tem coisas a acumular que gostava de ter tempo para lhes dedicar mas não consegue.

Pode não ser fácil aceitar este facto, mas é uma boa sensação quando se liberta “das coisas a acumular e que não tem tempo”, dedicando o seu envolvente apenas às coisas que lhe dão satisfação. E assim, vai deixando de estar rodeado de coisas para as quais não tem tempo.

Ou seja:

Para ter mais espaço – na sua casa e na sua vida – para o que realmente gosta é importante ser honesto sobre a forma como quer passar o seu tempo. Escolhendo o que lhe dá mais prazer, pode assim desembaraçar-se das outras coisas.

Salvar

Salvar