NOVO DIA NA COZINHA

Uma cozinha funcional e prática é meio caminho para começar bem o dia.
E para ter uma cozinha assim é essencial descomplicar e retirar os excessos. É muito mais fácil ser-se organizado se se tiver menos coisas!

Temos três sugestões para começar a organizar já hoje:

talheres e loiça a mais

E como é que decide o que está em excesso? Esvazie a gaveta e disponha tudo por categoria e conjunto. Se há um tipo de pratos que não usa por alguma razão, umas taças que não lhe dão jeito ou um garfo fora do conjunto, de que não gosta especialmente, então não há razão para os manter! Embrulhe as peças em jornal e dê a quem possa precisar ou apreciar!

frascos de vidro

Costuma guardar os frascos dos feijões ou das compotas? Claro que podem ser muito versáteis, mas se já tem bastantes e na realidade não os costuma usar, estão só a ocupar espaço desnecessário no seu armário. Vejamos, são frascos cheios de …ar! Pode retirá-los e se alguma vez realmente precisar, basta comprar um novo no supermercado ou na loja de utilidades.

Uma sugestão, pode usá-los para guardar sementes e frutos secos ou preparar uma salada ou bebida para o trabalho.

livros de receitas

Não resiste a um bom livro ou revista de receitas? Há para todos os gostos: saudáveis, indulgentes, requintadas, rústicas… não há fim!

Mas a verdade é que não lhe trazem maior experiência culinária se se mantiverem fechadas. Basta sermos honestos com a realidade. Se muitas vezes, quando procura algo em específico, mais rapidamente vai à Internet pesquisar – então se calhar os livros estão apenas a apanhar pó. Um bom método de seleção é dar uma meta de tempo a si mesmo para testar cada volume. Por exemplo – experimente algumas receitas dum determinado livro por mês. Rapidamente vai perceber quais os que gosta ou não.
Para além disso, é preferível ter poucos livros mas vividos, do que o contrário… têm muito mais encanto.
Se por acaso gosta de um livro apenas pelas imagens, então o desafio é expô-lo como parte da decoração, em vez de estar camuflado no meio dos outros.

 

TAREFAS INACABADAS

Imaginemos o seguinte cenário:

Tem na sala algumas chávenas de chá da noite anterior, leva-as para a cozinha, mas a meio do caminho vê umas roupas por lavar. Pousa as chávenas, apanha as roupas, e ao levá-las para o cesto, repara nuns livros que deviam estar no escritório. Deixa as roupas, pega nos livros… e por aí adiante. Consegue perceber a ideia?

Muitas vezes começamos um afazer e porque surge algo entretanto, deixamo-lo a meio e assim sucessivamente. Quer seja uma tarefa rápida ou morosa, lide doméstica, algo relacionado com trabalho ou um projeto lúdico, quando o deixamos inacabado, fica pendente.

Esta é uma das principais razões de desorganização do espaço, da mente e até de gestão de tempo.
A falta de eficiência ou a incapacidade de levar as tarefas até ao fim, deixa muitas pontas soltas.
Aqui vão sugestões de como contornar este problema para sentir maior controlo do seu tempo e do seu envolvente.

– Foque-se no que está a fazer – e não se deixe distrair. Por exemplo, se pretende responder a um e-mail e se se cruza com algo para fazer entretanto, lembre-se da sua tarefa inicial: escrever o e-mail. Repita para si mesmo – agora não, trato disto quando acabar. Este é quase um gesto de mindfullness .

– Se ajudar, vá tomando notas à medida que as tarefas vão surgindo. Assim, segue-as uma por uma.

– Ao encontrar algo que não pertence a esse compartimento, coloque-o à saída, perto da porta. Quando sair, já leva o item para o lugar correto. Do mesmo modo, se encontrar um objeto que pertence ao andar de cima, ponha-o ao pé das escadas, e quando subir poderá levá-lo.

Seja em casa ou no trabalho, estas dicas fáceis pretendem simplificar as tarefas e evitar distracções quando algo precisa de ser feito.

ESPAÇO VERTICAL

 

Quantas vezes já sentiu que não tem espaço suficiente para as suas coisas?
Este é um pensamento comum quando vemos mesas, armários ou até o chão com tantos objetos que mal nos podemos mover…!

Para além da clara importância de destralhar, é essencial saber aproveitar o espaço vertical, ao invés de usar apenas o horizontal – acima mencionado. Aliás, os espaços horizontais deveriam estar o mais livres possível, apenas com algumas peças que considera essenciais pela sua utilidade ou estética.

O ideal é ter espaço livre para nos movermos e superfícies onde pousar coisas quando precisamos, ou simplesmente para descansar o olhar.
Pense numa mesa limpa e desobstruída, onde pode organizar as suas papeladas facilmente, pousar o portátil, ou começar espontaneamente uma actividade. Imagine um chão livre e desimpedido onde seja fácil de circular ou até dançar! Também é muito mais agradável ter os tampos dos móveis libertos e sem excesso de informação.

A verdade é que o espaço vertical que existe em casa é subestimado e muito pouco aproveitado.
Assim, vou dar algumas sugestões e mostrar como pode ser fácil “pensar vertical” .

 

 

Hoje falamos dum simples suporte de bolsas para sapatos, e dos múltiplos usos que pode ter!

• Lenços e cintos
• Produtos de limpeza da casa
• Brinquedos e peluches pequenos
• Artigos de casa de banho – cremes, farmácia, escovas, etc.
• Ferragens: martelos, chaves de parafusos, caixas com pregos…
• Pequenas utilidades da dispensa: lanterna, velas, sacos do lixo, cabos elétricos
• Artigos de escritório: Canetas, marcadores, agrafadores, envelopes

A escolha é variada: há versões transparentes, outras de diferentes tecidos, lisos ou com padrões.
O importante é que tenha pelo menos a parte de cima visível para que possa ver facilmente tudo o que guardou.

Por onde vai começar?