A cozinha é o coração do lar…

 

Como está a sua?

A cozinha é a divisão da casa onde normalmente passamos grande parte do nosso tempo em casa. Seja a preparar as refeições, a arrumar, a confraternizar, a conversar ou sozinho a beber alguma coisa.
Por isto mesmo, é também aí onde se junta uma enorme variedade de objetos. Para além dos apetrechos de cozinha (que podem ser muitos), ora são faturas, jornais, brinquedos, gadgets ou tralhas indefinidas. Assim, acabam por se acumular coisas que pouco ou nada têm a ver com o propósito deste compartimento.

Então, as superfícies vão ficando com menos espaço de manobra e com mais coisas para limpar e arrumar. Também os armários ficam apertados e confusos, por vezes até com alimentos bem lá atrás, de que já não sabemos qual a validade. E em vez de ser uma área de dinâmica e conforto, vai ficando demasiado baralhada e sinuosa.

É aqui que entra a importância de uma cozinha organizada e de balcões livres de coisas desnecessárias. E isso começa por três passos simples:

1. BOICOTE A GAVETA DAS TRALHAS

Quase todas as cozinhas têm essa gaveta-patife. É onde cai todo e qualquer panfleto, medicamento, atilho, isqueiro, canetas, fatiador de ovos, ou até moedas perdidas. Se não sabe onde pôr algo, é para lá que vai. Dá-lhe essa permissão para adiar decisões.
Basicamente, é aquela gaveta que se abre para pôr lá coisas, mas onde raramente se vai para procurar (e efetivamente encontrar) algo.

E nisto, acaba por ser um espaço precioso que está a ser mal aproveitado.
Aconselho agarrá-la pelas rédeas, esvaziá-la e ver o que se passa lá dentro.
Separe por tipo e tire tudo o que não pertence: moedas vão para a carteira, medicamentos que não estão a uso vão para a sua farmácia, etc. Tudo o que possa precisar na cozinha mas está disperso, junte: atilhos e molas todos numa caixinha, caneta junta com um caderno, isqueiro e fósforos perto das velas…. por aí.
Verá que lhe vai sobrar espaço para coisas que efetivamente usa e quer ter por perto.

 

 

2. O BALCÃO QUER-SE AREJADO

Torradeira, batedeira, máquina de fazer sumos, cafeteira… a lista é infindável.
Para além de cozinhar, o balcão pode servir para pagar contas, ou até ter os miúdos a fazer os trabalhos de casa. Assim, deve ser espaçoso para trabalhar e fácil de limpar.
Mas com estes apetrechos todos pousados, acaba por tornar tudo mais complicado. A ideia é ter tudo à mão, sim, mas estará assim tão fora de mão ter na dispensa uma máquina de pão que só usa uma ou duas vez por semana? Convenhamos, mesmo que a sua casa seja ampla, é tudo relativamente perto.
Experimente remover as coisas do balcão e coloque só os seus indispensáveis, como sal e azeite, fruta, ou outros items diários. Arrume o resto das peças de forma a que fiquem facilmente acessíveis num armário ou dispensa. Não sente que fica tudo mais leve e arejado? Vá testando quais os objetos que faz mesmo questão de ter aí, e quais os que pode guardar.

3. ENFRENTE O SEU ALTER EGO CULINÁRIO

Um conjunto de pauzinhos chineses e set de fazer sushi; a panela de fondue; formas de cupcakes e bisnaga de decoração…
Todos nós temos uma personalidade-fantasia que vive na cozinha. A minha era a de receber um grupo de amigos para um fondue. Aconteceu uma vez. Na maioria das vezes, preparo eu outro tipo de coisas.
O que quero dizer é: quão essencial para si é ter uma coisa que nunca usou e provavelmente nunca vai usar? É mais importante do que ter uma cozinha funcional e intuitiva?
Dê uma olhada honesta naquilo que tem, e a frequência com que usa. Liberte-se dos acessórios-fantasia, e ganhe espaço para utensílios que adora e realmente lhe apetece usar.