Ano novo todos os dias

 

É bom e importante tirar um bocadinho todos os dias para reflectir e questionar se estamos a viver a vida que queremos viver.

Inevitavelmente, a Passagem de Ano surge com um forte simbolismo do poder “começar de novo”. E com ela, as resoluções do ano que chega.

Mas… se se propõe a uma nova resolução – seja reorganizar a casa, praticar desporto ou até dar mais tempo aos amigos – três coisas são exigidas desde logo: visão, prioridade e acção.

 

 

Visão é a primeira meta a atingir. Ao criar uma imagem mental do que o fará feliz, tem presente a recompensa deste compromisso. Imagine-se numa casa fresca, acolhedora, convidativa. Imagine o que é abrir os seus armários e sentir um prazer renovado todos os dias com as coisas a brilharem cada uma por si. Sentir plenitude quando entra no seu “ninho” porque cada peça é o reflexo de si e do seu estilo de vida.
Seja qual for a essência da sua motivação, desenvolva-a, agarre-a e concentre-se nela! É esta que o vai levantar quando estiver cansado e prestes a desistir.

Prioridade. Criar espaço no seu calendário e na sua vida já tão preenchida. Force-se. Tome iniciativa! Nem que comece com um par horas por semana.
Lembre-se que dizer que sim a algumas coisas requer dizer que não a outras. E seja realista. Roma não se fez num só dia. É preciso persistência e consistência.

E por fim, assuma a responsabilidade!
Acção! Porque sem esta parte, nada acontece. Podemos desejar e falar no assunto, mas sem pôr mãos à obra, não ficamos mais saudáveis, nem mais organizados, nem mais presentes.

 

 

Assim sendo, vai querer que o novo hábito se incorpore no seu dia-a-dia de modo natural. Para isso, tente descomplicar o processo. Torne-o num gesto fácil. Na nossa natureza humana, enfrentamos as coisas difíceis com desagrado e tendemos a não mantê-las por isso mesmo. Simplifique e faça da tarefa o mais agradável possível. Verá que encara tudo com outra disposição.

Aconselho a obra de Charles Duhigg ” A Força do Hábito”, que mostra de forma clara e aprofundada como podemos criar novos hábitos e transformar  o modo como vivemos.

Assim, aproveitando a deixa de hoje, pergunto: A sua casa reflete a sua visão? Ou as peças que lhe são realmente importantes ficam diluídas nos dias, no meio de outras coisas que acha que “tem que ter”?

A um 2018 mais leve!

 

Salvar

Salvar

Salvar