YOU’VE GOT MAIL! parte i

 

Uma coisa que tende a acumular nas nossas mesas de jantar, secretárias e espaços vazios em prateleiras é o correio.

Todos nós recebemos informação – mais importante ou não – por correspondência. Sejam contas para pagar, convites ou as notícias semanais.
Mas se não formos nós a limitar e controlar a torrente de papéis que entra em nossa casa, a coisa descontrola e entranha-se nos mais variados recantos da casa.

REDUZIR O FLUXO

Aqui, algumas sugestões de como simplificar a papelada que recebe diariamente:

· Em primeiro lugar, quando pega no correio, abra-o e leia-o perto do cesto dos papéis, assim pode imediatamente descartar envelopes e cupões que não tenham interesse.

· A estratégia mais simples para minimizar catálogos e publicidade desnecessária, é adicionar na sua caixa de correio “Publicidade não endereçada – aqui não obrigada!”. Se por outro lado, gosta e é relaxante para si ler a tal revista de supermercado, adicione por baixo “Catálogo X é bem-vindo”.
A verdade é que fica com menos uma coisa a fazer no fim do dia (até folhear um catálogo e processar a informação pode ser um gasto precioso de energia, quando estamos cansados vindos do trabalho). Também é menos uma coisa para a pilha do correio – e o mais importante, menos papel gasto e menor a pegada ambiental.

 

 

· Outra solução fácil e imediata é pedir facturas online (débito directo é opcional). É um grande avanço na simplificação da nossa papelada diária e nalgumas empresas até reduzem o preço. Ligue à empresa de luz, gás e água (são 10 minutos, e fica logo resolvido) e peça facturação por e-mail.
Quanto às facturas anteriores que já tem arquivadas, fica a saber que para despesas do lar, só é necessário guardar por 6 meses , a frequência com que são feitos os acertos e o período máximo que lhe podem cobrar atrasos. Tudo o que é anterior pode descartar.

· Se gosta de receber jornais e revistas, estabeleça a seguinte regra para si mesmo: a frequência com que as receber, é a frequência com as despacha. O ideal? Entra um, sai um.
Isto é, se recebe um jornal diário, e não tempo para o ler todos os dias, vai empilhando. Acontece que é pouco provável que ao sábado lhe apeteça passar a manhã a ler as notícias acumuladas da semana que passou.
Pense no seu ritmo de vida e ajuste as ofertas ao tempo disponível que tem. Estas assinaturas são suposto proporcionar-lhe prazer e descontração, e não a pressão de uma coisa a mais na sua lista de afazeres.

 

Salvar

Um comentário em “”

Os comentários estão fechados.