casas: s, m l, xl.

 

Diversos estudos de arquitectura e antropologia concluem que durante o século XX as casas foram aumentando significativamente de tamanho, não devido a necessidade, mas por expectativas crescentes do que são condições de luxo e conforto.

É interessante saber que desde os anos 20, o tamanho médio das casas aumentou para o triplo!
Ou seja, apesar das famílias serem mais pequenas hoje em dia, as casas continuam a crescer.

A verdade é que de certa forma se estipula que “uma casa minimamente confortável” é espaçosa, mas por outro lado, quanto mais espaço existe, mais tendência há para o preencher, e quanto mais preenchido, menor o conforto e fluidez de movimento, menos tranquilidade.
Ora, quando sente que tem a casa muito apertada, procura uma maior, e por aí adiante…
Cria-se aqui um ciclo vicioso que tende a continuar.

O mais curioso é que isto se aplica em tudo! Quanto mais tempo temos para fazer um trabalho, mais nos prolongamos e tardamos em terminá-lo (de qualquer das formas ficamos até à data a aperfeiçoá-lo), quanto maior uma mala de viagem, mais coisas tentamos colocar dentro…

O mesmo se passa com as nossas casas. Ao darmos liberdade, por exemplo, a um sótão ou garagem para serem “quartos de arrumos”, mais tolerância nos damos a nós mesmos para manter lá tudo. Nem questionamos se nos devemos libertar ou não das coisas que não nos são úteis… porque há espaço! E à primeira oportunidade lá compramos mais coisas que não precisamos.

 

Estima-se que cerca de 25% das pessoas com garagens para dois carros não consigam sequer estacionar lá um dos carros… Parece incrível, mas a verdade é que as actividades do dia-a-dia se vão apoderando do nosso tempo, e se não formos intencionais no “destralhe”, as coisas ganham raízes e estacionam lá por demasiado tempo.

Defina quais os propósitos desse compartimento: Escritório? Oficina? Acessórios de desporto? Estacionar o carro? Força.
Se necessitar mesmo, assuma que tem arrumos, mas delimite um espaço para eles. E deixe livre o máximo espaço possível. Mais fácil de limpar, mais arejado, mais agradável.